Sexta Literária

Só pra Você Saber, Eu Não Esqueci Você

By on junho 27, 2017

*Algum filho-de-Deus-perfeito menciona seu nome*

Girl blinks as she tries to keep a straight face.
Buzzfeed

“Quem?,” ergo as sobrancelhas — ora, sarcástica, ora, cara de pau. “Não conheço ninguém com esse nome.” Olhe que mentira tem perna curta, penso logo depois. Nem sou tão boa atriz assim, nem faço questão de ser. Só quero deixar bem claro: embora “não te queira mal, não te quero mais.” Nem se, por milagre ou bruxaria, você mudar de ideia. “Nem pintado de ouro!”, digo a quem quiser ouvir.

Entendeu? Escute-me direitinho para não deixar mal-entendido. Da última vez que nos vimos, fui àquela festa por ir, me embonequei para a outra eu dentro do espelho, sequer sabia que você tinha sido convidado. Quando verifico quem visualizou meus snaps, é por mera curiosidade, não para saber se minha existência passa pela sua cabeça; por acaso, sem premeditação ou propósito — diferente de quando relembro-me da sua. Quando pergunto por você, é por educação, não porque me pergunto “se está bem ou gostando de outro alguém.” Ah, e as aparentes indiretas não foram para você, foram para outro, que, por 10 minutos mas não de uma vez por todas, fez com que você sumisse.

Giphy

 Você comprou isso aí? Deus sabe que eu, apesar de tentar de verdade, ainda não consegui. No final das contas, não quero que você pense que te esqueci, nem por um microssegundo. Vai que, um dia desses, você dá a louca e contraria as expectativas minhas e do resto do mundo. Só queria que eu pensasse que te esqueci. Internalizasse a última fase do luto, a aceitação — afinal, falhei miseravelmente na negação. Queria que, quando alguém mencionasse seu nome, minha paz não se esvaísse e meu humor não se tornasse imprevisível e minha mente se ocupasse com qualquer outra coisa

Veja bem, meu bem, até onde você sabe — ou até onde eu sei —, nunca senti nadica de nada por você. Se senti, o sentimento decaiu com o tempo, como o seu por mim. Não te culpo. Talvez você me culpe pelo meu orgulho mal-disfarçado de dignidade, mas espero que não. Espero que — ainda que não admita nem para si mesmo — você não tenha se esquecido de mim.

21 de junho de 2017

Então, ‘bês, o que acharam da 1ª Sexta Literária do Lua Post? Se gostaram, não se esqueçam de curtir e compartilhar 😉

Continue Reading

Lifestyle | Produtividade

Porque Talento Não Importa

By on abril 3, 2017

Olá, benzinho. Você se acha talentoso? Pense um pouquinho, pode não ser um talento convencional (como o artístico ou o esportivo). Se sua resposta foi sim, você já tem meio caminho andado. Se não, pense mais um pouquinho. Ainda não? Leia o nº 9 e volte. 

      Peraê, mas o que é talento? Segundo o dicionário Merriam-Webster, um dom. Veja bem, não é que  o talento seja inútil ou desnecessário, só é definitivamente superestimado. E por quê?

1. Antes de mais nada, ele existe mesmo?

Em vez de talento, que tal chamar de pré-disposição ou facilidade? Dê uma stalkeada em quem você considera talentosa. Se ela é, digamos, música, provavelmente ela tinha facilidade e interesse melhorou a técnica ao longo do tempo até ser o que você conhece. 

Você é talentoso? Sim? Ainda há um longo caminho pela frente. Não? Tem certeza?, http://wp.me/p5PoBH-1Vg
(bestgifs.makeagif.com)

2. Todo mundo (ou quase) só acredita vendo.

De que adianta você desenhar retratos hiper-realistas com batom se ninguém nunca os viu? Se você não quer transformar seus talentos em carreira, de boas. Caso contrário, não espere, faça com que seu talento seja descoberto. 

Você é talentoso? Sim? Ainda há um longo caminho pela frente. Não? Tem certeza?, http://wp.me/p5PoBH-1Vg
(thenewswheel.com)

3. Você não necessariamente quer exercer todos os seus talentos.

Uma amiga minha escreve poesia belissimamente mas, até onde sei, apenas como hobby (o que faz os olhinhos brilharem mesmo é, imagine só, física.) Até quando pensamos no que  diabos queremos ser, talento é só a pontinha do iceberg

loki-do-what-want
Eu faço o que eu quero. (photobucket.com)

4. Talento por si só não adianta tanto assim

E de nada  adianta você ter um talento maraviwonderful se você nunca colocá-lo em prática. Seja lá quem você considere talentosa, você só o faz por causa do que ela produziu. Se ela nunca tivesse produzido nada, mesmo talentosa, você nem saberia quem ela é.

Você é talentoso? Sim? Ainda há um longo caminho pela frente. Não? Tem certeza?, http://wp.me/p5PoBH-1Vg
(tenor.co)

5. Talento é matéria-prima, não produto final.

Talento não pode ser ensinado (nem aprendido), você nasce com ou sem ele. Ou seja, se você nasceu sem (ou ache que sim), é o fim da linha? Não necessariamente. O talento é apenas um empurrãozinho, eu acredito que todo mundo pode aprender qualquer coisa com trabalho duro o suficiente. A pergunta é: você está disposta?

Você é talentoso? Sim? Ainda há um longo caminho pela frente. Não? Tem certeza?, http://wp.me/p5PoBH-1Vg
É trabalho duro ser uma estrela. (desconhecido)

6. E não é igual a habilidade.

Para tornar seu talento uma habilidade, você precisa aprender uma ou mais técnicas e praticá-las. Por exemplo, você não tira nota alta no ENEM por ser a reencarnação de Tolstoi e sim porque tirou  a técnica de letra e ainda deu uma palhinha da sua criatividade.

working-hard
(reactiongifs.me)

7. Aliás, não podemos depender dele.

Meu bem, não espere até ser supertalentosa para ir atrás dos seus sonhos. Vá agorinha mesmo, imperfeita e levemente amadora, e aos poucos, você melhora,  você vira expert, com a experiência. Provavelmente não será fácil, mas não pense ah, meu Deus, nunca vou conseguir, não importa o quanto tente. Só continue.

go-on
Continue. (giphy.com)

8. Pessoas ultra-mega-super talentosas são raríssimas.

Exceções, como os guris de 5 anos que resolvem equações de 5º grau ou pintam uma obra-prima em 10 minutos, existem, mas imagine se o mundo dependesse desses ser-humaninhos  para mudar. Felizmente, existem muitos de nós.

Você é talentoso? Sim? Ainda há um longo caminho pela frente. Não? Tem certeza?, http://wp.me/p5PoBH-1Vg
(giphy.com)

9. Todo mundo tem algum talento.

Talvez você ache que tô falando… quer dizer, escrevendo isso só por bondade. Nem tô. Pode não ser um talento convencional, mas tenho 100% de certeza de que existe alguma coisinha que você faz bem. Portanto, a partir de hoje, saiba que, quer você ignore-o ou leve-o adiante, existe um tesouro escondidinho dentro de você. 

hercules-dance
(m.popkey.co)

E aí? Qual o seu talento?

Continue Reading

Lifestyle

Sobre ser pseudo-adulta

By on março 9, 2017
Não sabe quem é ou quer ser? Não está pronta? As coisas não mudaram tanto quanto ou como você gostaria? Bom, agora você tem de virar gente, por bem ou por mal, http://wp.me/p5PoBH-1QT
Diga adeus aos corredores e aulas. Diga olá a um emprego e os impostos. (degrassi.wikia.com)

De repente, não mais que de repente (x), você está LIVRE. À primeira vista, você só está aliviada — a felicidade e o orgulho estão em 2º plano. Então, aos pouquinhos, a ficha cai. Chegou o seu momento. Isso mesmo, aquele tão sonhado, o motivador da sua impaciência, a luz do fim do túnel, a desculpa-mor para você não ter “começado a viver” ainda. Mas Sua adolescência já deu o que tinha de dar, of coze, mas ainda tem uma partezinha sua que se sente como se tivesse pulado de uma época para outra sem mais nem menos. 

        Aliás, falando em adolescência, você pode até ter orgulho de si mesmo ao olhar para trás, mas a medida que começa a se identificar mais com seus pais do que com seus irmãos mais novos, adolescentes te dão nos nervos. Tão ingratos, são felizes e não sabem. Quaaando eu era adolescente (tipo assim, ontem)mesmo quando tudo dava errado, eu ainda podia fechar meus olhinhos e imaginar… quando acabar o Ensino Médio, eu vou morar fora, vou passar em medicina de primeira, eu e o crush finalmente ficaremos juntos…  vou… vou… 

          E… não foi. Passei no curso que queria mas não saí da minha cidadezinha, as coisas não mudaram tanto quanto ou como eu gostaria. É impossível voltar no tempo, e você não o faria se pudesse, mas até que entende Peter Pan. Você se pega morrendo de vontade de dar uma passadinha na sua antiga escola, feliz até de se bater com de quem você não era lá muito fã, desesperada por algo familiar, algo que não mude, não acabe… por um futuro que permaneça utopia, não que vire presente e te deixe sem a menor ideia do que vem a seguir. Nada saiu como o planejado algumas vezes, quem disse que dessa vez sairá? (In)felizmente, todas as suas certezas desabaram como um castelo de cartas e você só sabe que nada sabe. 

Não sabe quem é ou quer ser? Não está pronta? As coisas não mudaram tanto quanto ou como você gostaria? Bom, agora você tem de virar gente, por bem ou por mal, http://wp.me/p5PoBH-1QT
Ninguém disse que seria fácil. Ninguém disse que seria tão difícil. (rebloggy.com)

          Mas você tem de virar gente, por bem ou por mal. Bem-vindos ao melhor reality show de sobrevivência de todos os tempos! Não sabe quem é ou quer ser? Não está pronta? Só lamento. O tempo não para. E quando você pensa “talvez ano que vem…“, o pensamento que segue é “e se for tarde demais?“. Você tem pressa de viver mas morre de medo. Do fracasso? Do sucesso? Dos 2. Dê adeus de uma vez à vida que você tinha antes e assuma logo a vida que você tem agora.

            Lá vai você: casquinha após finalmente aprender que dinheiro não dá em árvore, agradecendo de só ter de pegar 1 busão mesmo que ele dê a volta na cidade, não desejando nada além de colo e alguém que resolva seus problemas por você… nervosíssima porque suas desculpas acabaram. Você não ia bem na escola porque tinha de estudar o que não gostava? Bom, você que escolheu seu curso, não é mesmo? Tem certeza de que esses são seus sonhos, caros e trabalhosos? Lembre-se de que você de fato vai ter de realizá-los.

       E seus amigos? Cada um foi prum lado. Uma foi morar em outro estado, outro está dando duro no cursinho e esquece de te ligar por causa dos pesadelos com o primo-da-irmã-da-amiga-do-vizinho que passou na UFMG de primeira, outra posta um monte de fotos com a galera da faculdade, mas você ainda fala com eles, os ama como se vocês ainda se vissem todo dia… mas até quando? O quanto da sua antiga vida você tem de perder para ganhar a nova? E, se você é como eu e nem tem um emprego ou 18 anos (ou seja, literalmente uma pseudo-adulta), a nova vida nem é tão nova assim. Não é que “Mesada” e “permissão” não saíram do seu vocabulário, só que “autoescola” e “salário” ainda não entraram.

        Calma, é assim mesmo, é natural, todo mundo passa por isso, você vai conseguir. Sei disso não… mas vai, ‘viu? Só parece mesmo que está todo mundo bem-resolvido e feliz da vida. Logo logo você se acostuma e passa a ser uma adulta propriamente dita. Não é o tipo de transição que tem data para começar e para acabar, é um processo meio longo. Mas, se você sobreviveu à adolescência, pode sobreviver ao que vem por aí. Acredite. 

Monica and Rachel from Friends.
Bem-vinda ao mundo real! É uma droga. Você vai amar! (niftyfilm.com)

Continue Reading